• Palmital, 19 de Setembro de 2018.

Pesquisadores desenvolvem molécula que pode reinventar a cura da leucemia


Pesquisadores do Instituto Carlos Chagas (ICC/Fiocruz) em Curitiba desenvolveram uma mólecula que pode reinventar o tratamento contra alguns tipos de câncer, sobretudo a Leucemia Linfóide Aguda (LLA). A doença atinge principalmente crianças e adolescentes.
Tatiana Brasil, Stephanie Bath de Morais e Nilson Zanchin modificaram em laboratório a chamada "asparaginase humana", uma enzima capaz de controlar a asparagina — aminoácido presente no corpo humano que contribui para desenvolvimento de células cancerígenas.
Há quase 50 anos, desde a descoberta, a asparaginase usada em medicamentos contra a LLA é exclusivamente extraída de bactérias. O método em si é efetivo na cura, mas em 30% dos casos ocorre o que os cientistas classificam como "hipersensibilidade", quando o corpo entende que há algo estranho ao sistema e reage com fortes alergias ou o bloqueio da ação do remédio.
"O tratamento de hoje é eficiente, mas os efeitos colaterais ainda são um problema. Se há rejeição do corpo, o percentual de efetividade cai. Com a asparaginase de origem humana, não existe essa rejeição. O que queremos com a pesquisa não é só a cura, mas é como o paciente leva o tratamento. Ter sintomas mais brandos é muito importante", explica Tatiana.

G1 PR