• Palmital, 17 de Janeiro de 2020.

Em Foz do Iguaçu barraca de verduras mede nível de honestidade de clientes.

Nem todo mundo gostaria de contar o que faz quando ninguém vê. Para o bem ou para o mal, algumas verdades jamais são reveladas. Na Barraca da Honestidade, onde são vendidas verduras, do lado de fora do batalhão da Polícia Militar (PM) de Foz do Iguaçu Pr a sinceridade dos clientes é avaliada duas vezes por semana.
Sem vendedores, segurança ou qualquer tipo de monitoramento, os interessados em comprar as hortaliças vão até o local e pegam o que querem. Em uma caixa identificada, deixam o dinheiro, ou não, de R$ 2,00 por verdura, segundo a PM.
Ao final de cada dia de venda, a equipe do projeto faz um levantamento do que foi vendido e arrecadado. O saldo positivo ou negativo aponta o "nível de honestidade" dos clientes que passaram pela barraca.
Neste mês de novembro, o projeto tem sido bem aceito com alto índice de honestidade.
"No site nós divulgamos o resultado e as pessoas podem ver como tem sido a honestidade de quem compra", explicou a soldado e integrante do projeto Daiana Amaral.
Segundo ela, na maioria dos dias o valor recebido é o equivalente ao que foi vendido. Mas em alguns, como é possível observar no gráfico abaixo, o cliente aproveita da falta de supervisão e não deposita o dinheiro devido.
"O projeto não foca na arrecadação. A ideia é mudar o pensamento das pessoas, mostrar que devemos fazer o certo mesmo quando não tem ninguém olhando. No caso da barraca, é só a consciência da pessoa que vai saber o que ela fez", explicou.
Conforme a PM, o dinheiro arrecadado serve para a manutenção do projeto, além de ser repassado para 15 entidades assistenciais de Foz do Iguaçu.
"Vocês vão ver que em alguns dias o 'nível de honestidade' ultrapassa os 100%. Isso é porque o cliente coloca o dinheiro e não tem troco. Mesmo assim, ele deixa lá porque sabe que ajuda instituições, como o lar dos velhinhos", disse.
As vendas ocorrem duas vezes por semana, na Barraca da Honestidade. As verduras vendidas são desde alface, agrião até tomate.
G1